Compre seu Ingresso aqui

..

..
clique na Imagem

PierNet Telecom

PierNet Telecom

Style2

Envie sua Denúncia

Envie sua Denúncia

Mais Informações Clicar na imagem



Foram necessários 64 anos, 10 meses e 29 dias. Pelé surgiu, jogou, parou. Idem a outros ídolos do futebol brasileiro. O país conquistou cinco títulos mundiais. E nesta quinta-feira, 12 de junho de 2014, enfim o Brasil voltou a vencer um jogo de Copa do Mundo em casa. Mas foi sofrido - e muito. O Brasil bateu a Croácia por 3 a 1, no Itaquerão, com direito a gol contra em 10 minutos de jogo e Neymar decidindo. Graças ao camisa 10, o sonho do hexacampeonato em casa começou bem.

Não que tanto tempo sem vitória em casa fosse tratado como algo que influenciaria o futebol de Neymar e cia. no gramado do Itaquerão. Mas desde os 6 a 1 sobre a Espanha, no dia 13 de julho de 1950, o povo brasileiro não assistia a um triunfo de seu país em uma Copa em casa. Isso acabou. Mesmo que de forma controversa: como no primeiro jogo do título em 2002, o Brasil saiu atrás e só virou com pênalti polêmico. Para diferenciar, o terceiro gol veio no final. Três pontos garantidos e um jogo a menos para a conquista da taça.


As fases do jogo: Os primeiros 20 minutos de Copa do Mundo foram da Croácia. Duas chances criadas, um gol, e o Brasil sem conseguir criar uma chance sequer. Daniel Alves e Marcelo, principalmente após o gol contra que marcou aos 10 minutos, estavam nervosos. Olic, Modric e Rakitic aproveitaram. E a Croácia deu a impressão de que uma zebra na abertura poderia ocorrer.

O Brasil mudou o panorama do jogo, principalmente, pelos pés de Oscar, com bons passes, e Neymar, em jogadas individuais - foram elas que deram ao Brasil o empate, no primeiro tempo, em lindo chute rasteiro do atacante, de canhota, de fora da área. E no segundo tempo, quando ele cobrou o pênalti da virada. A Croácia ainda tentou pressionar, mas sem resultado. Nos acréscimos, quando o jogo já parecia definido, Oscar, com chute de bico, selou a vitória.



O melhor: Neymar - Oscar foi muito bem. Não lembrou em nada o esmorecido jogador no amistoso contra a Sérvia. Por ele passou a bola nos principais lances da seleção - inclusive no gol de empate do Brasil, marcado pelo camisa 10. Que se livrava da defesa croata para que os companheiros aparecessem livres no ataque. E que não sentiu a suposta pressão de, aos 22 anos, liderar o país a quebrar a "mística" dos 64 anos sem título mundial no Brasil. Se dizem que a estreia "é sempre complicada", Neymar provou que, individualmente, não sentiu nada. A prova? O pênalti para a virada.

O pior: Daniel Alves - O lateral viu a Croácia criar todas suas chances pela lado direito da defesa brasileira. Aos 6 minutos de jogo, em suas costas, Olic surgiu para cabecear com perigo, no primeiro lance de ataque da Copa. Aos 10 min., o mesmo Olic cruzou para o gol contra de Marcelo, de novo pela área sob responsabilidade de Daniel. No ataque, pouco produziu.

A chave do jogo: a liberdade dada por Felipão a Neymar. O camisa 10 pôde, então, se movimentar por todas as partes do campo. Com Hulk e Fred sumidos, Neymar foi atacante e meia. E ele gosta disso: 


Para lembrar:

O Brasil jamais havia feito um gol contra em 19 edições de Copa do Mundo. A marca foi encerrada logo aos 10 minutos do jogo de abertura, quando Marcelo desviou para o gol brasileiro bola cruzada por Olic. O gol permitiu a Croácia jogar mais recuada, o que dificultou a tentativa de pressão brasileira - o posicionamento defensivo croata foi muito bem feito -, tanto que a virada saiu de um pênalti controverso.

Fred e Hulk destoaram de Neymar, deixando o ataque brasileiro como de um homem só. Fred só apareceu quando sofreu o pênalti marcado pelo árbitro japonês, e Hulk só quando resolveu ajudar na defesa.



A torcida cantou o hino à capela, como já havia feito durante a Copa das Confederações de 2013. Isso emocionou alguns atletas, como Júlio César, Thiago Silva e David Luiz, que chegaram a chorar. A presidente Dilma Rousseff foi outra a se emocionar. Mas ela também viu a torcida se expressar de forma negativa em sua direção...

Os torcedores vaiaram e xingaram Dilma e a Fifa antes do início do duelo, quando apareceram no telão do estádio. Quando vistos, o público irrompeu em um "Ei, Fifa, vai tomar no c...", que misturou-se aos protestos contra a presidente do país.


BRASIL 3 X 1 CROÁCIA

Data: 12 de junho de 2014
Horário: 17h00 (de Brasília)
Local: Itaquerão, em São Paulo (SP)
Árbitro: Yushi Nishimura (JAP)
Assistentes: Toru Sagara e Toshiyuki Nagi (JAP)
Cartões amarelos: Neymar, aos 25 min. do 1°t (Brasil); Corluka, aos 19 min. do 2°t, e Lovren, aos 28 min. do 2°t (Croácia)
Gols: Marcelo (contra), aos 10 min. do 1°t (Croácia); Neymar, aos 28 min. do 1°t e aos 25 min. do 2°t, e Oscar, aos 45 min. do 2°t (Brasil)
Público: 62.103 pessoas.

BRASIL: Júlio César; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo, Paulinho (Hernanes, aos 17 min. do 2°t) e Oscar; Neymar (Ramires, aos 43 min. do 2°t), Hulk (Bernard, aos 23 min. do 2°t) e Fred
Técnico: Luiz Felipe Scolari.

CROÁCIA: Pletikosa; Srna, Corluka, Lovren e Vrsaljko; Perisic, Kovavic (Brozovic, aos 15 min. do 2°t) , Rakitic e Modric; Olic e Jelavic (Rebic, aos33 min. do 2°t)
Técnico: Niko Kovac.

Uol

Sobre ÁLVARO MELLO

...
«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário

NÃO SERÁ PUBLICADO COMENTÁRIOS QUE POSSUAM PALAVRAS DE BAIXO CALÃO.
CADASTRE-SE E COMENTE A VONTADE.

NO COMMENTS WILL BE POSTED TO POSSESS profanity.
REGISTER AND WILL COMMENT.

NON SARANNO PUBBLICATI I COMMENTI CHE POSSONO ESSERE PROFANITÀ. REGISTRATI E POTRAI COMMENTARE.


Top