Compre seu Ingresso aqui

..

..
clique na Imagem

PierNet Telecom

PierNet Telecom

Style2

Envie sua Denúncia

Envie sua Denúncia

Mais Informações Clicar na imagem


Presos na Operação Spectrums são levados à sede do GOE, no Recife (Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press)


Envolvidos no esquema chegaram a receber até R$ 60 mil por mês. Operação Spectrums ocorreu sexta (12), em Pernambuco e na Paraíba.

Depois de deflagrar na sexta-feira (12) uma operação para desarticular um grupo suspeito de desviar dinheiro público em Goiana, na Zona da Mata Norte de Pernambuco, a Polícia Civil informou, nesta segunda (15), que pelo menos R$ 2,5 milhões foram repassados para contas de funcionários fantasmas. Ainda de acordo com a corporação, parentes e amigos do responsável pelo desvio, o administrador da folha de pagamento do município, também eram beneficiados com salários mensais de até R$ 60 mil.

Até agora, a Polícia solicitou a prisão temporária do indivíduo. Na sexta (12), cinco outras pessoas também foram presas, totalizando três homens e três mulheres detidos. A operação aconteceu simultaneamente em Goiana e em João Pessoa, na Paraíba, onde foram cumpridos seis mandados de prisão temporária e de busca e apreensão. O delegado Tiago Uchôa, responsável pelas investigações da Operação Spectrums, afirmou que a corporação ainda apura o número total de pessoas envolvidas no esquema. “Estamos apurando quantas pessoas se beneficiaram ao todo. Sabemos que algumas das contas são de funcionários fantasmas, mas outras pessoas têm contrato com a prefeitura do município. Os parentes do administrador da folha também receberam valores”, comenta.

Ainda segundo Uchôa, o esquema foi descoberto por meio de denúncia recebida pelo Ministério Público em Goiana“Quando eles encontraram uma irregularidade, pediram ajuda da Polícia”, explica. Em alguns casos, a quantia repassada a amigos e familiares chegava a R$ 60 mil por mês. “Os créditos eram depositados em dias diferentes, mas somando todas as quantias foi possível chegar a esse valor”, diz o delegado.

Depois das ouvidas, a polícia também investiga o material apreendido na última sexta (12). Tablets, computadores documentos e smartphones já passaram por análise e levaram a corporação a crer que a esposa, a sogra, a mãe, os irmãos, primos e algumas amigas do administrador também eram beneficiados pelo desvio de dinheiro.

A operação investiga desvio de dinheiro da folha de pagamento dos servidores municipais entre os anos de 2009 e 2012, na gestão do ex prefeito Henrique Fenelon (PC do B) naquela época.

A Polícia ainda investiga se o administrador da folha de pagamento do município é o chefe do esquema ou se tinha as ações coordenadas por outro indivíduo. “Ainda assim, há elementos que podem nos levar a pedir a prisão preventiva dele”, explica, citando os crimes de peculato, lavagem de dinheiro e associação criminosa.


Fonte: G1

Sobre ÁLVARO MELLO

...
«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário

NÃO SERÁ PUBLICADO COMENTÁRIOS QUE POSSUAM PALAVRAS DE BAIXO CALÃO.
CADASTRE-SE E COMENTE A VONTADE.

NO COMMENTS WILL BE POSTED TO POSSESS profanity.
REGISTER AND WILL COMMENT.

NON SARANNO PUBBLICATI I COMMENTI CHE POSSONO ESSERE PROFANITÀ. REGISTRATI E POTRAI COMMENTARE.


Top